Arquivo da tag: Jon Nelson

Baú dos Smiths

Depois de mergulharmos na séria Recuerdos de Mayorga, eis que mais um baú com pérolas dos Cycos se abre. Desta vez, trata-se de Dominy Smith, irmã do ex-batera do Suicidal, Amery Smith. Para o delírio da turma, ela fez a baita camaradagem de disponibilizar alguns registros dos primórdios do conjunto no Facebook.

As fotos nos lançam lá para o início dos anos 80, época em que o ST ainda aprumava o repertório e caçava uma chance para gravar o álbum que mudaria a vida de muita gente — a minha, por exemplo.

Jon Nelson dedilhava a guita, com sua vibe hendrixiana. Louie Mayorga era o titular do contra-baixo. Amery Smith empunhava as baquetas. E, claro, Mike Muquinho Muir, presidia o conjunto.

Artigos de luxo!

Antes das fotos, porém, deixo um registro. Durante um mês, o blog ficará sem atualizações, em virtude de uma viagem de trabalho. Segurem a onda que logo tudo volta ao normal. Valeu!

O roadie do ST Moony, Amery Smith de cabelo raspado e Kevin Guercio, vocalista do No Mercy, curtindo uma birthday party.

Festinha em Harrisburgh, na Pennsylvania. Mike Muir traja berma vermelha, enquanto Mayorga ostenta um calção Elite caqui.

Mike Muir versão bonequinho, Louie de azul, Amery de laranja e Jon Nelson sem camisa. 1983 - Ohio.

Mike Muir em Detroit, 1983, após passar a noite em um necrotério.

ST no Eletric Banana - Amery Smith é o primeiro, Mike Muir o segundo, Mayorga com um penteado invocado e Jon Nelson sem camisa.

 

7 Comentários

Arquivado em ST for Life

Flashing Pictures – 36

Meus camaradas, obrigado pelos votos de sucesso na cirurgia. Tudo correu bem. O único problema é que terei de ficar de gesso por algum tempo. Assim, nada de textos grandes no blog.

Volto com duas belas fotos do baú do Mayorga em que, além do velho baixista, temos ainda o parceiro e ex-guitarrista Jon Nelson. Coisa fina.

7 Comentários

Arquivado em ST for Life

Flashing Pictures – 28

Seguindo com as pérolas do baú do Louichi, temos o Suicidal em turnê. Os caras foram até o inóspito Alaska, a 5.500 quilômetros de distância da ensolorada Los Angeles. Uma pernada monstro no início dos anos 80.

Na foto histórica, um molecote Mike Muir, cheio de panca de surfista e, aparentemente, imune ao frio. Mayorga logo abaixo, com um invocado sobretudo. Jon Nelson é o próximo, de cavanha e moletom Possessed. Na sequência está Amery Smith, tirando onda de batera francês, equilibrando uma boina e fumando um cigarro. Por último, representando o chicano style, não faço a menor ideia de quem seja. Classic!

6 Comentários

Arquivado em Flashing Pictures

Flashing Pictures – 18

* with english version below.

Gosto muito dessa foto. É um dos poucos registros em que o ST aparece na praia. Algo que, para uma banda local de Venice Beach, e tão identificada com a sua origem, não deveria ser tão raro. Não sei quem foi o responsável pelo clique, mas são gigantescas as chances de ela ter sido tirada por Glen Friedman.

Poucas, mas sensacionais as fotos do ST em seu habitat natural. O que dizer da peça que ilustra a capa do primeiro álbum, reproduzida, dez anos depois, para o Still Cyco?

.

Provavelmente ao lado do pier de Venice, sobre as pedras, estão Muir (largado), Smith (desajeitado), Nelson (desafiador) e Mayorga (low-profile) — detalhe para respingos de uma onda que estourou, no canto direito.

Formação de 1983 a 84 que cavou um lugar na cena para o Suicidal. Com um disco de estreia desacreditado debaixo do braço, contra o descrédito da mídia, costurando as desavenças com outras bandas e se esquivando do ódio e da violência das gangues.

Chama a atenção o bonézinho do Nelson. À época, sempre feito com as próprias mãos. Mais tarde, essa onda (da aba do boné virada pra cima, mostrando alguma inscrição) viraria símbolo do ST e febre entre os fãs nos truckers hats dos anos 80.

*************ENGLISH VERSION*************

I really like this pic. It’s one of not so many photos avaliable that contains ST on the beach. And the scenario shouldn’t be so rare, for we’re talking about a band formed and raised in Venice Beach, the place they are really related to. I’m not sure who shot the pic, but it was probably Glen Friedman.

Even is there aren’t so many ST photos in their natural habitat, they are still terrific, though. What shall we say about the one that’s in the cover of their first album, that was released 10 years later for Still Cyco?

This pic was probably shot next to the Venice pier, standing in the stones, you can see Muir, Nelson and Mayorga – zoom on the splash caused by a wave, on the right corner.

The 1983-84 line-up dug a spot in the scene for Suicidal. Carryin’ a discredit debut album, also against the discredit of the media, sewing disagreements with other bands and avoiding the hate and the violence brought by the gangs.

Nelson’s tiny cap is another thing to pay attention – back then, those werer always drawned by hand. Later, this ‘style’ would turn out to be the ST symbol and become a fever among the fans wearing trucker hats in the ‘80s.

2 Comentários

Arquivado em Flashing Pictures

Conexão LA-NY

* with english version below

Não sei se é a melhor maneira de começar o ano em se tratando de um blog sobre uma banda específica. Afinal, o ST não é a “estrela” do post. Mas, com certeza, trata-se de uma grande curiosidade.

Dia 12 de maio de 1986, na Alemanha, o Anthrax tocando War Inside My Head. Quem se ligou na data, já percebeu que o show aconteceu antes do lançamento do Join the Army, disco dos Cycos que contém o clássico.

Detalhe que mostra como a canção já comovia a moçada. Mais informações sobre a música você pode encontrar na entrevista que o Jon Nelson, ex-guitarrista do ST e um dos autores, concedeu ao blog.

Execução bem fiel (como não poderia deixar de ser, em se tratando de um grupo excelente)  que começa a partir de 5h30. No momento de anunciá-la, o sensacional guitarrista Scott Ian dá uma vacilada e a chama de War in My Head.

Não sei como rolou a conexão LA-NY. Imagino que algo natural, no caso de duas bandas que chamavam muita atenção na metade da década de 80. Se alguém souber mais…

Vagando pela internet, encontrei a foto abaixo, retratando um encontro, provavelmente, no início dos anos 90.

***************ENGLISH VERSION***************

I’m not sure if this is the best way to star the new year, knowing that this blog is about an especific band. After all, ST is not the ‘star’ of this post, but it’s certainly a big curiosity.

On may 12th 1986, in Germany, Anthrax playing War Inside My Head. It’s the date of the concert that happened before the releasing of Join the Army, wich is the Cyco’s album that contains that song.

You can see that it shows how the song already moved the crowd. You can check more info about the song on the interview I made with Jon Nelson, former ST guitar player and the co-author of it.

It’s a pretty faithfull performance that starts in the 5’30 of the video, but when Scott Ian announced the name of the song, he called it wrong on War in My Head.

I don’t know how the connection LA-NY first started. But I presume it was normal, knowing that both bands were really on focuses by late 80’s. If anyone has more information, please let me know…

Going ‘round the net, I’ve found the pic above, probably from the early 90’s.

4 Comentários

Arquivado em ST for Life

Bob Heathcote na área…

* with english version below.

Depois de Jon Nelson, mais um ex-integrante do Suicidal apareceu por aqui  (o blog está ficando importante). Bob Heathcote comentou este post e pôs fim às dúvidas sobre o seu paradeiro. O ex-baixista do ST no final dos anos 80 está mais vivo do que nunca – cheguei a ler na internet que ele teria sido assassinado — e logo ressurgirá em uma entrevista exclusiva.

Heathcote, ex-baixista do ST, e o filho Jon, em foto recente.

Beside Jon Nelson, another Suicidal former member has appeared here (this blog is becoming important!). Bob Heathcote commented this post and solved the mistery about his secret spot. The former ST bassist  from the late 80’s is more alive than ever (unlike some “news” I’ve read on the net sayin’ he was murdered) and he will be soon here in an exclusive interview.

3 Comentários

Arquivado em ST for Life

100 posts!

* with english version below.

Comecei o blog há pouco mais de cinco meses. Sem nenhuma pretensão, exceto pela disposição de não deixar o extenso material (fotos, principalmente) que coletei sobre o Suicidal praticamente morto em uma pasta do computador.

De lá para cá, já foram 100 posts publicados! O centésimo foi o logo abaixo, uma entrevista com o fotógrafo, skatista e camarada do ST Pep Williams.

Alguns posts me trouxeram imensa satisfação. Especialmente, as entrevistas com os ex-integrantes Louichi Mayorga, Amery Smith, Rick Battson e Jon Nelson — sem contar a do Mike Clark, membro ainda na ativa.

Da mesma maneira, foi muito legal conectar a galera que é fã do grupo. Juntar Cycos da Suécia, Portugal, França, Rússia, além dos brasileiros e americanos.

É isso aí… espero que esse seja apenas o primeiro marco e que muita coisa boa esteja por vir!

********************************

It’s beem 5 months since I’ve stated this blog. Back then, I didn’t have any objectives, I only desired to share all the Suicidal stuff I’ve been collecting in these years hidden in some computer folder.

Since then, it’s been 100 posts published! The post #100 is the one with the interview I made with Pep Williams, photographer, skater and ST bro.

Some posts has made me really happy and satisfied for doing this, specially the interviews with the former members of ST Louichi Mayorga, Amery Smith, Rick Battson e Jon Nelson –without mentioning the interview with Mike Clark, who’s still a ST member.

In the same way, it was really nice to conect with so many ST fans, gathering Cycos from Sweden, Portugal, France, Russia, beside brazilians and americans.

There you go… I hope this mark is only the first of so many stuff coming around!

3 Comentários

Arquivado em ST for Life

Flashing Pictures – 15

Para não perder o ritmo, mais um post com fotos raras do Suicidal. E desta vez, os comentários ficam a cargo do ex-guitarrista Jon Nelson. No registro, Nelson, Mike Muir e Amery Smith — Louichi Mayorga, baixista na época, ficou de fora do quadro.

Nelson, Muir e Amery Smith em Berkeley

“It was about the 3rd show on the first tour for ST. The Eastern Front was in Berkeley, CA and we went on later in the afternoon. I think Black Flag was the headliner. Some of the other bands I remember were Saint Vitas (That was the first time I had seen them & really liked them. The Brood toured with them after I left Suicidal. We had a great time), and a bunch of local bands from up near San Francisco. Thrasher magazine was there and took lots of good pictures. One was when I had jumped off the stage and started playing with my teeth in the audience. I might have it somewhere”.

Traduzindo, livremente…

“Essa foto é do terceiro show da primeira excursão do ST.  O Eastern Front foi em Berkeley, Califórnia, e nós fomos no fim da tarde. Acho que o Black Flag foi a atração principal. Algumas das outras bandas, me lembro do Saint Vitas (foi a primeira vez que eu os vi e realmente gostei deles. O The Brood fez turnê com eles depois que eu saí  do Suicidal. Tivemos grandes momentos), e um monte de bandas locais de perto de San Francisco. A Thrasher Magazine esteve lá e tirou muitas boas fotos. Uma delas quando eu saltei para fora do palco e comecei a tocar com os meus dentes no meio da platéia. Eu devo ter isso em algum lugar”.

*********************************************

Aproveitando a oportunidade, deixo aqui o link para quem tiver interesse em adquirir o disco da banda nova do Jon Nelson, Nasty Habits. Basta clicar AQUI.

nastyhabits

2 Comentários

Arquivado em Flashing Pictures

Jon Nelson na área – de novo

Nos comentários da entrevista que deu para este blog, Jon Nelson pintou novamente para divulgar seu novo som com a banda Nasty Habits. Trata-se da música Devil’s Playground, programada para pintar na área com o álbum Skinned Alive.

Nelson deixou o link que eu publico abaixo, no Youtube…

Particularmente, curti o som. Nenhuma relação com o Suicidal, além, é claro, do guitarrista canhoto fã de Jimi Hendrix. Um “hard-rokão” sujo, para o delírio das cabeleiras. Vale ouvir.

Olympic Auditorium '83

Nelson em show no Olympic Auditorium, nos tempos de ST

Deixe um comentário

Arquivado em ST for Life

O show do Ed

Quem frenquenta o blog já manja a seção Flashing Pictures, espaço onde eu apresento fotos raras do Suicidal, algumas delas, verdadeiras pérolas que coletei em minhas expedições pela internet.

Verdadeiros tesouros já foram para o ar, mas uma session especial eu guardava para uma edição de gala. Não são fotos “secretas”, já circulam entre os fãs da banda há algum tempo.

Mas acho esses registros tão bons (não por acaso, um deles ilustra o topo do blog) que eles mereciam mais do que alguns comentários. Mereciam e terão.

Há alguns dias encontrei o site do responsável. Ele se chama Ed Arnaud e ainda mora em Tucson, no Arizona, local que abrigou um show do Suicidal em 1982. Apresentação esta que acabou eternizada pelas lentes de Ed.

Abaixo, uma entrevista com ele, as fotos clássicas e, para fechar, mais cinco fotos que vão para o ar pela primeira vez na internet!

Quando e onde você fez as fotos?
As fotos do ST foram tiradas em 23 de janeiro, 1984 no Stumble Inn em Tucson, Arizona.

Como era o cenário? Um clube punk? E o público?
Houve uma série de grandes shows nesse lugar. Era um clube para fãs de música underground. Eles tinham duas ou três televisões e durante todo os shows que eles promoviam passavam o filme “Road Warrior” (Mad Max, para nós brasileiros) nas televisões sem parar. Nas caixas de som, sempre rolava punk rock entre as bandas.

Durante a primeira parte do show, o público estava surpreendemente tranquilo, pelo que eu consigo lembrar. Você consegue ver em algumas fotos as pessoas paradas. Normalmente, o clube tinha um pit furioso à frente do palco. Um mosh pit começou a se formar logo após eu terminar de tirar as minhas fotos. Me lembro de um pequeno público naquela noite, talvez umas 50 pessoas.

st_ed_arnaud (5)

No estacionamento fora do clube, alguém pôs um corpo falso em baixo de um carro. Não sei quem, e não sei qual o motivo. Em todo o caso, tirei uma foto.
Uma das coisas que eu não gostava no Stumble Inn, era que ele tinha essa grande em frente ao palco. Isso ficou no caminho para tirar as fotos, e tornou mais difícil a galera saltar do palco. Você viu minha foto do Mike Muir levantando do chão e o público o ajudando a subir? Ele tombou sobre os trilhos na frente do palco e caiu no chão. Foi uma performance muito intensa como todos os fãs do ST sabem.

As fotos foram tiradas em frente do palco, no meio do público, como foi isso?
Normalmente, pode ser muito difícil tirar fotos na frente do palco em um show punk, por conta da movimentação constante. Foi fácil naquela noite. Eu só tinha um filme de 24 exposições em preto e branco, então eu terminei de tirar as fotos no início do show, antes do pogo se formar. Meu amigo músico Paul Young, que era um cara alto, me pôs em seus ombros para o show do ST. Se você observar, algumas das minhas fotos foram tiradas de cima da galera. Paul era um punk rocker que morreu na década de 90, e há essa página em sua homenagem, caso você se interesse.

st_ed_arnaud (7)

Naquela época, muitos dos shows do Suicidal ficaram marcados pela violência (brigas ou no pogo). Algum problema naquela noite?
Nenhum problema que eu me lembre.

Por que a escolha por fotos em preto e branco?
Na minha opinião, fotos em preto e branco podem ser mais poderosas para quem vê. É cru e honesto. Às vezes, a cor pode ser perturbadora para o espectador, tirando o foco do assunto.Não há distrações com o preto e branco. Embora eu tenha usado filme colorido para alguns shows, prefiro preto e branco.

st_ed_arnaud (6)

Quando eu usei filme colorido, deve ter sido por ser o único filme que eu tinha comigo no momento. Eu não tinha muito dinheiro na época, e às vezes só tinha um filme de 24 poses comigo. Cor definitivamente tem o seu valor. Fotografei o grupo Wall of Voodoo na década de 80. Eles usavam luzes do palco que eram muito profundas em cor, um momento perfeito para usar filme colorido.

O que você acha dessas suas fotos do ST
Eu tenho sorte, fui capaz de documentar o Suicidal no início de sua carreira. Gosto do olhar intenso dos integrantes durante a performance. Eu também gosto do que a banda estava vestindo, incluindo a camisa do Mike Muir. Fiquei muito feliz de estar lá. Eu tinha apenas 19 quando eu tirei essas fotos.

Naquela show, o ST usava bandanas, bonés, chapéus, camisa de flanela, Mike usou uma camiseta da banda. Muito do estilo que ficou consagrado depois. Você acredita que isso também contribuiu para as suas fotos serem tão marcantes?
Sim. O estilo Suicidal fez essas fotos serem únicas. Algo que era muito incomum para uma banda de punk rock na época, pelo menos do que eu tinha visto em Tucson. Tanto quanto eu sei, o estilo cholo não era associado ao punk rock até o Suicidal aparecer na cena. Eu acho que é uma combinação pefeita. Uma coisa é interessante foi que, logo após esse show, grafites do ST começaram a aparecer em torno da cidade. Especialmente, onde skatistas eram freqüentes.

st_ed_arnaud (8)

Algumas questões pessoais. Quantos anos você tem? Ainda vive em Tucson? Fale um pouco da sua carreira como fotógrafo.
Acabei de fazer 46 anos e ainda moro em Tucson. Não tenho do que reclamar, continuo saudável. Espero que meus ouvidos aguentem com todos os shows que eu assisti e toda a música que eu toquei alta em minha vida. Enquanto escrevo essas respostas, ouço L7 estourando!

Faço fotos desde que eu tinha 10 anos. Fiz aulas de fotografia durante os quatro anos na escola e em dois anos na faculdade. Fotografar shows começou na faculdade, quando eu trabalhava para uma revista de entretenimento local como fotógrafo freelance.

st_ed_arnaud (9)

O primeiro concerto que eu fotografei foi do The Police, em 1982. E continuei a fotografar concertos para a revista, mas o que eu queria era fotografar os shows que eu mais amava, os de Punk Rock. Em meados e final dos anos 80, me tornei o fotógrafo exclusivo para uma banda de rock local chamada Thai Pink. Esta banda tinha um grande potencial como uma banda de glam rock. Sua formação incluiu Eddie Spaghetti, que acabou formando o Supersuckers. Infelizmente, o Thai Pink se separou, a revista local para qual eu fotografava fechou e a cena punk em Tucson não é mais a mesma.

Não sei exatamente o porquê, mas parei de fotografar shows. Voltei a tirar fotos de alguns shows há um ou dois anos e gostaria de continuar. Se alguma banda brasileira aparecer por Tucson, me mande um email que eu faço as fotos.

AS FOTOS INÉDITAS THE UNPUBLISHED FOTOS

st_ed_arnaud 1

st_ed_arnaud 2

st_ed_arnaud 3

st_ed_arnaud 4

st_ed_arnaud 5

st_ed_arnaud 6

Mais fotos do Ed, visitem o site dele.

[ENGLISH VERSION]

THE ED’S SHOW

You readers already know about the section Flashing Pictures, which is a place wehre I show you rare Suicidal  pictures – in fact, some of those are a real find colected in my expeditions all over the internet.

Some of the treasures has already been posted, but I was keeping a special session for a gala edition. The pics are not ‘secret’, of course, in fact it has been circulating among the fans for a while now.

But I think those shots are so damn good (not at random, one of them it’s on the top of this blog), that they deserve more than only comments. Actually, they deserve and they shall have it.

Some days ago, I’ve found the photographer’s website: his name is Ed Arnaud, and he still lives in Tucson, Arizona, the city where Suicidal made a gig back in 1982. This concert was registred by the lens of Ed’s camera.

You can check below an interview I’ve made with him, some classic pictures and, closing the deal, plus 5 photos that were never shown before on the net!

When and where those photos were taken?
The photos of ST were taken on 23 January, 1984 at a night club called the “Stumble Inn” in Tucson Arizona.

What was the scenario, a punk club? And how was the audience reacting to the concert?
There were a lot of great shows at this night club.  The club catered to fans of underground music.  They had two or three televisions in the club and during any show that I attended they would play the movie “Road Warrior” on the televisions over and over again.  Their sound system was always playing punk rock music between bands.

During the first part of the show, the audience was suprisingly tame that night from what I can remember.  You can see in some of the photos people standing instead of moving.  The club usually had a furious pit going right in front of the stage.  A mosh pit started forming soon after I finished taking my photos.  I remember only a small crowd that night, maybe 50 people.

In the parking lot outside the club, someone put a fake body under a car.  I don’t know who, and I don’t know why.  I took a photo of it anyway.

One thing I didn’t like about the Stumble Inn, is that they had this railing in front of the stage.  This got in the way of taking photos, and made it more difficult for people to dive off the stage.  You’ve seen my photo of Mike Muir getting up from the floor and the audience helping him up?  He flipped over the railing in front of the stage and landed on the floor.  He is a very intense performer as all ST fans know.

The photos were taken in the audience, in front of the stage. How was that?
Usually it can be very diffcult taking photos in front of the stage at a punk show because of the constant movement.  It was fairly easy that night.  I only had one roll of 24 exposure black and white film, so I finished taking photos early in the show before the pit formed.  My musician friend Paul Young, who was a tall guy, let me get on his shoulders for the ST show.  If you’ll notice, some of my photos were taken from above the crowd.  Paul was a punk rocker who died in the 90’s.  Here is a tribute page for him if you’re interested.

Suicidal’s gigs were pretty famous for the violence. Did any problem happened that night?
No problems that I can remember.

Why did you chose b/w photos for that ocasion?
Black and white photos, in my opinion, can be more powerful to the viewer.  It’s raw and honest.  Sometimes color can be distracting to the viewer taking the focus away from the subject.  To me there are no distractions with black and white.  Although I have used color film for some concerts, I prefer black and white.

When I have used color film, it may have been the only film I had with me at the time.  I didn’t have much money back then, and sometimes only had one roll of 24 exposures with me.  Color definetly has it’s place.  I photographed Wall of Voodoo in the 80’s.  They used stage lights that were very deep in color which made it a perfect time to use color film.

At that concert, the band was wearing bandanas, hats, ST shirts, much of the ornaments that would be lately known as the “suicidal style” or “cholo style”. Do you think that accessories contributed to your photos?

Yes.  The Suicidal style made these photos unique.  Very unusual for a punk rock band at that time, at least what Tucson had seen.  As far as I know, the cholo style was not associated with punk rock until Suicidal showed up on the punk scene.  I think it’s a pefect combination.  What’s also interesting, soon after this show, ST graffitti started showing up around town.  Especially where skaters would frequent.

What do you like in these pictures?
I’m lucky I was able to document a Suicidal show early in their career.  I like the intense look on the faces of Suicidal as they perform.  I also like what the band was wearing including Mike Muir’s shirt.  I was very fortunate to be there.  I was only 19 when I took these photos.

How old are you? Where do you live? Tell me about your carrer as photographer?
I just turned 46.  So far so good, I’m staying healthy.  I hope my ears hold up with all the concerts I’ve attended and all the music I’ve played loud all my life.  In fact, I have L7 cranked up as I write this.

I’ve been taking pictures since I was 10.  I took photography classes all four years in high school, and two years in college.  Photographing concerts started in college when I worked with a local entertainment magazine as a freelance photographer.  The first concert that I photographed was The Police in 1982.  I continued photographing concerts for the magazine, but I wanted to start photographing the shows I loved most, which was PUNK ROCK.  In the mid and late 80’s I became the exclusive photographer for a local rock band called Thai Pink.  This band had great potential as a glam rock band.  Their lineup included Eddie Spaghetti who eventually formed the Supersuckers.  Unfortunately Thai Pink broke up, the local magazine I took photos for stopped publishing, and the punk scene in Tucson wasn’t the same.  I don’t know exactly why, but I stopped taking concert photographs.

I’ve taken photos at a few shows in the last year or two, and would like to continue.  If any Brazilian bands make it to Tucson, send me an email and I’ll photograph the show.

7 Comentários

Arquivado em ST for Life