Arquivo da tag: Los Angeles

Thug Life

Circulando pela rede encontrei alguns registros sensacionais de “gang life” em Los Angeles. A maioria deles passa longe de Venice, a área que mais nos interessa. As fotos têm origem nas quebradas distantes da brisa do mar, passam por Compton e, na maioria, retratam os guetos latinos.

A peça abaixo, assinada pelo fotógrafo Ken O’Brien, é a única representante da área, e data justamente do período de gestação do ST, 1982. Dois representantes dos Crips bem ao estilo de Venice Beach. Muito mais vocês podem curtir AQUI e AQUI.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em ST for Life

Flashing Pictures – 28

Seguindo com as pérolas do baú do Louichi, temos o Suicidal em turnê. Os caras foram até o inóspito Alaska, a 5.500 quilômetros de distância da ensolorada Los Angeles. Uma pernada monstro no início dos anos 80.

Na foto histórica, um molecote Mike Muir, cheio de panca de surfista e, aparentemente, imune ao frio. Mayorga logo abaixo, com um invocado sobretudo. Jon Nelson é o próximo, de cavanha e moletom Possessed. Na sequência está Amery Smith, tirando onda de batera francês, equilibrando uma boina e fumando um cigarro. Por último, representando o chicano style, não faço a menor ideia de quem seja. Classic!

6 Comentários

Arquivado em Flashing Pictures

Terça, 14 de setembro – final

De volta a Califórnia, eu e Abud batemos novamente no endereço da Sunset em Venice. Louichi Mayorga nos recebe a la vontê, sem camisa, Nossa Senhora de Guadalupe riscada no centro do peito. O velho baixista do ST nos convida para entrar.

Estamos no quarto que o ex-baixista do Suicidal Tendencies divide com a esposa Kate. Simples como toda a morada. Ele pede alguns minutos para finalizar uma correria no computador. Não demora muito, zarpamos para buscar a herdeira, Paloma, na escola.

No carro, o primeiro disco do ST ecoa dos alto-falantes. Louie pergunta se já ouvimos a peça remasterizada, respondo que sim. Logo somos quatro na velha nave cyco. Paloma nada sabe da antiga banda do pai — ela é muito novinha para curtir a barulheira.

Assim que retornamos, intimo as tais “boxes and boxes” de fotos. Ele vai à cozinha e abre a porta de uma espécie de dispensa. Ressurge com uma caixa preta e grande, forrada com dezenas de álbuns e negativos.

Registros sensacionais dos bastidores do Suicidal. Da pré-história, ainda com Mike e Sean Dunnigan; passando pela estreia em vinil; até a turnê europeia do Join the Army. Entramos em pânico. Afinal, são revelações para dias de degustação detalhada.

Infelizmente, o tempo é curto. Salvo parte das fotos reproduzindo-as com a minha máquina fotográfica. Não fica uma maravilha, longe disso. Mas não há outra alternativa.

Da cozinha, reencontramos o quintal. E lá, largado em uma cadeira de madeira, trajando uma peita dos Lakers, Mayorga concede uma entrevista em video por cerca de meia-hora. Uma boa geral que, em breve, poderá ser vista aqui no blog.

Saímos uma breve Suicidal tour pelos arredores de Venice.

Primeiramente, nosso carro aporta em uma casa escondida atrás de uma nova contrução. Mike Muir morava nela e lá nasceu o ST, em ensaios na cozinha. O Black Flag também tocou no endereço.

Registros feitos, vamos ao ponto alto da mini-excursão: a casa onde foi gravado o clipe de Possessed to Skate, hino do esporte e faixa 9 do Join the Army. Recorremos por telefone a um camarada de Louichi para encontrar o paradeiro correto.

Por fim, a sede da loja de skate Streets of Venice, de propriedade do vocalista do ST e onde ele também residiu. Lá foi gravada a segunda versão do clipe de How Will I Laugh Tomorrow.

Tudo registrado (posts detalhados e fotos virão na sequência), vamos embora. Ao desembarcar na Sunset pela última vez, é chegado o momento da despedida da inesquecível jornada ao lado de Louichi Mayorga: “Hasta luego, cabrón!“.

9 Comentários

Arquivado em ST for Life

Sábado, 11 de setembro – parte 2

Óculos escuros, peita azul com a inscrição “Venice”, bermuda cinza nas canelas e um kéds tiozão. Destaque para a moda capilar: cabeleira alisada e levemente comprida, bigode fino complementado por formações humildes de pêlos abaixo dos lábios — tudo atormentado pelo branco do passar dos anos.

O responsável pelo baixo sinistro de um dos discos de punk-rock mais vendidos de todos os tempos, piloto do instrumento de um álbum símbolo do crossover, desce a escada cheio de marra, saudando a massa com um double hang loose.

Sem demora, Louichi Mayorga nota as figuras estranhas ao reino de seu backyard. Aproxima-se e, mais de um ano depois, nos apresentamos. Agora, pessoalmente. Surreal.

Eu, Abud e ele trocamos algumas palavras. Insisto para que o dono do pedaço fique solto, curta o barbecue. Mas, para a nossa grata surpresa, o fundador do Suicidal Tendencies parece mais interessado em conhecer a dupla de fãs brasileños malucos. Assim, enquanto o rockão pega firme durante a tarde de sábado, entramos no seio do lar dos Mayorgas.

Imediatamente, recorro ao velho quadro de recortes. Escaneio e vejo que há ali registros muito mais preciosos do que eu supunha. São fotos de bastidores da pré-história da banda, a maioria da turnê do Join the Army (parte delas será publicada aqui no blog).

Antes de examinar a peça com mais cuidado, pergunto se há mais material como aquele. “Boxes and boxes”, ele diz. A resposta, e a expectativa, me faz enxergar um pentagrama em chamas, semelhante ao do clipe de Possessed to Skate. “Amanhã eu mostro com calma”, completa Louie, indo em direção da sala.

Próximo da porta de entrada, o baixista saca as duas maiores recordações dos tempos de ST: o contra-baixo amarelo, utilizado na gravação do memorável disco de estreia; e o preto, companheiro na segunda (e, para ele, derradeira) aparição dos Cycos. Os dois, infelizmente, um tanto castigados pela inatividade.


Após alguns cliques para a posteridade, voltamos para a festa, à essa altura possuída pela malandragem. Lá fora, o embalo do Capiroto queima os alto-falantes e se espalha pelo coração de Venice.

Como era de se esperar, Louie se empolga com o grave brincando livre. Pede licença e assume, por algumas músicas, a posição que o consagrou. Contando ainda com a potente garganta de Caviar, vocalista do Horny Toad (grupo atual do ex-Suicidal), rolam algumas pedradas do Led Zeppelin.

O heavy-blues dos britânicos atiça o ambiente — um dos orgulhos de Louichi é possuir um pôster com firmas originais de Bohan, Jones, Page e Plant. Um litrão de Jack Daniels atenua a sede da rapaziada. De repente, num gole só, o irmão mais novo Steve consome metade da água maldita do Tennessee.

Anoitece no oeste de Los Angeles, o lendário barbecue caminha para o fim. Sentimos o momento de bater em retirada — no dia seguinte, pularíamos cedo da cama para viajar rumo a perdição de Las Vegas.

Na despedida, o cumprimento com Louichi Mayorga é marcado por uma camaradagem sincera. Com a Sunset escura, habitada por vultos matreiros, subimos no carro e partimos.

Três dias depois estaríamos de volta para a Suicidal Tour.

18 Comentários

Arquivado em ST for Life

Sexta, 10 de setembro

Antes do material do Suicidal, vou fazer uma breve retrospectiva de como tudo rolou em Los Angeles. Serão três textos, publicados um de cada vez. O primeiro está abaixo.

Tudo começa com uma entrevista por email. Pouco tempo após a criação deste blog – apenas para aproveitar as dezenas de fotos antigas do Suicidal Tendencies que eu coletava, por pura curtição – finalmente o velho e sumido baixista responde às minhas perguntas.

Eu jamais poderia imaginar um ano depois estar no quintal daquela casa em Venice, bisbilhotada por mim nas fotos do Myspace ao descobrir o paradeiro de Louichi Mayorga.

Corta para setembro último, sabendo da minha viagem para a California, Louichi me convida para um barbecue familiar. Porra, peraí… eu estaria ao lado daquele cara de nome latino (o único entre os quatro integrantes do grupo), chapéu invocado e panca de malandro, estampado no encarte do meu disco preferido? Frenesi total.

Mas, melhor segurar a onda. Vai que o convite era mais por gentileza…

Assim, sem criar expectativa, qual não foi a minha surpresa ao ligar para ele, de um telefone público dentro do Kodak Theatre, em Hollywood, e ouvir a resposta entusiasmada do outro lado da linha: ¿Dónde estááá, cabróóóón?

Alguns minutos de um embate pegado com muito english/spanish rolando de lado a lado, fica armado o encontro: sábado, às 14 horas.

9 Comentários

Arquivado em ST for Life

Breaking news

Diretamente de Los Angeles, adianto que o mergulho no passado do Suicidal foi bem melhor do que o esperado. Esperem por fotos absolutamente ineditas,  alguns videos e uma breve ST tour.

4 Comentários

Arquivado em ST for Life

Até breve…

Rapaziada, amanhã embarco para Los Angeles. O blog ficará sem atualizações até, pelo menos, o dia 28 deste mês. O motivo vocês já sabem, expliquei melhor por aqui.

7 Comentários

Arquivado em ST for Life