Arquivo da tag: Muir

ST, gangues, violência – a série 2

Na foto logo abaixo, raríssima, uma mini-reunião de alguns Suicidal Boyz, de idades variadas, como se vê. Mas pode chamá-los também de Suicide’s, Cycos ou até Suicidal Dudes — são vários os nomes para a moçada que, entre outras atividades, seguia o ST por LA partindo de Venice.

Destaque para o magrão ao centro. Calça jeans, manjada; bandana azul, também no esquema; e a camisa com o ST pintado na gola. Há ainda outro desenho, no bolso, que não dá para identificar. Sem contar o mé, discreto, na mão.

suicidalboyz

Há ainda outro personagem nessa picture, importantíssimo na história da banda. A fera de costas, de jaqueta punk e cabelo espetado, é o Ric Clayton. Ele foi o responsável por criar a letra, o estilo, o desenho da marca do Suicidal que se tornou um clássico.

Com a caneta nas mãos, Clayton também detonava nas camisas da molecada (das que aparecem na capa do primeiro álbum, boa parte são desenhos dele), uniforme quase obrigatório entre os Suicidal Boyz.  De quebra, foi baixista do No Mercy, banda de Mike Clark que contou com Muir por um breve período.

Quanto ao assunto da série, a ligação é óbvia, certo? O que rola quando junta um grupo de homens numa quebrada qualquer? Não creio que esse encontro, por exemplo, fosse para ir na missa ou estudar.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em ST for Life

Flashing Pictures – 4

Além das fotos, vou publicar por aqui alguns promos que eu descolei do ST. Acredito que esse tipo de divulgação por parte das gravadoras nem exista mais, em tempos de internet. Uma pena, pois era bacana. Além da promoção, valia como artigo para colecionar, de preferência, com uma “firma” dos ídolos.

promo2

Esse é da época do Join the Army, tem o selo da gravadora Virgin no canto baixo direito. Do ladinho, está “4/87”, que só pode ser a data. Destaque para o autógrafo do Louiche Mayorga. Além, é claro, do ST explodindo em chicano-gang-cholo-style. Flannel shirts, bonés com a aba virada etc. E aproveitando a primeira aparição do mítico Rocky George no blog, lanço um dos maiores mistérios da humanidade: o que significa o “P” no bonézinho que é clássico do guitarrista?

3 Comentários

Arquivado em Flashing Pictures

Flashing Pictures – 2

São raríssimos os registros em foto e video na internet da passagem do guitarrista Grant Estes pelo ST. Uma lástima, pois, embora tenha integrado rapidamente a banda (cerca de um ano), ele tem importância colossal. São de Estes as dedilhadas nervosas gravadas para a posteridade no álbum de estreia do Suicidal. Mas isso é papo pra outra seção.

estes

Por todas as minhas andanças, só achei essa foto com ele em ação – há um video também, que qualquer hora pinta aqui. Matar o ano é fácil, só pode ser 1983. Do lado esquerdo, Louiche Mayorga, de boné aba virada, e seu clássico baixo amarelo e preto consagrado nos primeiros momentos do ST.

E do direito, Estes no estilão dele, bem diferente do consagrado pelos demais Cycos. Será que o fato de o cara ser canadense teve algo a ver com isso? De repente.

Camisa branca, sem nada, calça preta. Cabelo curto-comprido, com uma franja bem marota. Para completar, uma guita modelo Flying V, geralmente utilizada pela moçada mais hard rock (na época). Pra fechar o cenário, amp Marshall e um “intruso” ao centro trajado no melhor “suicidal boy”.

1 comentário

Arquivado em Flashing Pictures

Lights… Camera… ST! – 1

Os videos do Suicidal não poderiam ficar de fora deste espaço, lógico. E para inaugurar outra nova seção (já são quatro, que beleza!), nada melhor do que a mais curiosa aparição da banda after all these years. O que dizer dos Cycos tocando “ao vivo” em um episódio do seriado oitentista Miami Vice?

Ao analisar o agito, só posso concluir que os marrentos policiais Sonny e Tubbs estavam metidos numa bronca nervosa. Turminha estilo high society – trajada nuns panos anos 80 horríveis – sacudindo ao som de “Institutionalized” num cenário new wave.

Totalmente sem sentido, não? Só pra quem tá por fora. Quem manja a série (bombada no Brasil pelo SBT) sabe que as drogas eram tema comum. Aí, porra, é só ligar os pontos e sacar o óbvio. O ST foi  escalado pra uma daquelas famosas “festinhas de embalo”, onde rolava muito brilho (reparem no cara que surge quando marca 1:19, totalmente excedido na farinha) e perna de grilo.

E pra quem tá ben johnson da ideia, qualquer música serve. Por isso a animação da galera, incluindo um tiozinho numa cadeira de rodas, enquanto o Suicidal dublava seu maior clássico.

A rápida aparaição do ST

A rápida aparição do ST

Nas pesquisas que fiz, não consegui ter certeza de que ano é esse episódio, chamado “Free Verse”, de número 42, da segunda temporada. Alguns sites dizem ser de 1985, outros de 1986. Deve ser mesmo por aí. Pois, e aí chegamos ao que interessa, o ST tem Mike Muir no vocal, Rocky George na guitarra, Louiche Mayorga no baixo e R.J. Herrera na batera.

Basicamente, o que salvamos sobre a banda nessa performance inusitada. Formação que durou de 1985 até 1987, quando Mike Clark entrou. Mais, somente o “profissionalismo” do conjunto, como bem comentou um chapa no youtube. Assim que ouviu o tiro (disparado pelo tio da cadeira), eles pararam imediatamente a música,  retomando com mais uma notinha só pra encerrar.

2 Comentários

Arquivado em Lights, Camera, ST!